Seguidores

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Minha Ilha

Lança-se o poente
Sobre o azul espelhado na lagoa
Onde mil lágrimas choveram
Deixando o pranto esvair-se
Entre as escarpas que abraçam este silêncio
Que teimosamente rasga as veias
Em trinados de saudade

Minha ilha
Feita de lava e lume
Hino coroado de trindades
Chão negro
Palmilhado por contas
De um rosário
Pleno de Esperança

Minha Ilha
Feita de proas
Largadas no manto de águas
Nas mãos a promessa
Na alma a certeza de um naco de pão
Que cale o tremor do amanhã

Minha ilha minha ilha
Adormecida em verdes silêncios
Onde o rumorejar da folhagem
É desejo ardente
De uma nova caminhada

Minha ilha de lava e lume
Alma rendilhada
Nas veias de um poeta.

3 comentários:

Anónimo disse...

Não sei quem escreveu a beleza deste modo tão singelo e tão nobre
Bem haja seja mulher ou homem!
Poesia tens no sangue e na alma a sabedoria .

R.P.

Betty Branco Martins disse...

_________minha querida







como é bela_______a tu "ilha"


_______________como





encanta




a tua_________poesia








beijO c/ carinhO

BORBOLETA POETA disse...

Querida smile,
vim ver teu blog e fiquei maravilhada não só pela beleza das fotos, mas, também, pelo lirismo da tua poesia, pela leveza da tua alma de poeta.
Bem Haja!
Beijo.
Elen de Moraes