Seguidores

terça-feira, 31 de julho de 2007

São

Ao olhar ascende um oceano
Alaga os sonhos
Suspensos nas nuvens
De uma saudade
São tochas...
Que tisnam o rosto da alma
São sons...
Que estremecem
As margens do meu ser
São acenos...
Emergindo da ausência
São legendas...
Na tela da vida
São memórias...
Esvaziadas num soluço
São fontes...
Espelhadas num coração de água
São...?!
Sim...!
São lágrimas que retenho nas MÃOS
E com elas vou escrevendo
O sentir de uma ALMA.

1 comentário:

Papoila disse...

Lagrimas...

Tão bem que escreves esses sentires da alma.

Beijocas
BF