Seguidores

sexta-feira, 25 de maio de 2007

Infinito

Batem as horas nuas
Sobre o tempo que avança
Deixando as pégadas
De um silêncio arrefecido
Nas dobras do destino
É sempre assim
Quando a saudade é ALMA
E o sentir é esta linha
Que me separa
Do infinito que em mim vai crescendo

Batem as horas nuas
Sobre o orvalho da ALMA.

1 comentário:

Betty Branco Martins disse...

_______________linhas__________sentires que se cruzam________pesadamente algumas___________paralelas________vivendo no desejo ___________do toque____

Beijinhos com carinho
BFSemana